segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Frankenstein, de Mary Shelley

Sinopse: Frankenstein conta a história de Victor Frankenstein, um jovem estudante, que a partir de corpos de seres humanos que obtinha em cemitérios e hospitais consegue dar vida a um monstro que se revolta contra a sua triste condição e persegue o seu criador até à morte.

Opinião
: Gostei muito de ler este livro. À semelhança do que aconteceu com Drácula, tinha outra ideia deste clássico, no entanto não me desiludi. A história é contada através das cartas que Walton manda à sua irmã. Nessas cartas lemos a história de Victor Frankenstein, e dentro dessa
narrativa, a história do monstro por ele criado.

Acho que o ponto forte deste livro é o facto de Shelley nos apresentar duas visões completamente diferentes - a do criador e a do monstro- que levam o próprio leitor a um dilema, ao dilema do criador.

Enquanto lia este livro, achei algo um pouco estranho, o facto de que o próprio terror do livro era subtil, mas não deixava de lá estar. Ao contrário de Dŕacula, o suspense não é forçado, e também não achei que tivesse muitos momentos de acção parada, o que é uma mais valia.

Não sei se todas as versões deste livro têm a razão pela qual Shelley decidiu escrever este livro, mas pelo sim pelo não deixo-a aqui.

Quatro amigos -Mary Shelley, Percy Shelley, Lorde Byron e John Polidori - decidiram escrever algo sobre fantasmas. Segundo o que escreveu numa das suas notas, ela não tinha ideia do que fazer, até que um dia, teve um sonho onde lhe aparecia o monstro hediondo. Dos quatro amigos, apenas ela publicou o que escreveu. Foi assim que Shelley conseguiu neste livro fazer algo completamente diferente, o que lhe valeu que Frankenstein seja ainda hoje um grande clássico.

Classificação: 9/10 - Excelente

4 comentários:

Diana disse...

De acrescentar só que ela tinha 19 anos quando escreveu esse livro!
Li-o o ano passado e também adorei. É um ponto forte termos os dois pontos de vista da história, do monstro e do criador, e pelo menos eu, senti uma grande empatia para com o monstro...Eu queria que ele tivesse uma "monstra"! hehhe :)

Laelany disse...

Olá Jacqueline!

Ora eis dois livros que sempre quis ler: Frankenstein, da Mary Shelly; e o Drácula, de Bram Stoker. No entanto a oportunidade foi sempre passando ao lado.

Gostei muito do teu blogue e das tuas críticas! :D

Jacqueline' disse...

Diana, por acaso eu também queria que ele tivesse uma "monstra", se bem que poderia ser bem perigoso!

Laelany, aconselho a que leias os dois, penso que vais gostar bastante! Já agora, obrigada!

Tita disse...

Este é um dos livros que quero ler antes do final do ano =) Cada vez estou mais curiosa