sábado, 14 de novembro de 2009

Carrie, de Stephen King

Sinopse: Não é que fosse diferente das outras. Um pouco estranha, sim. E antipática. Talvez por isso, era objecto da chacota e do riso de toda a turma. Ou talvez a sua antipatia fosse antes o resultado de se ver sempre constituída em alvo da troça de todas. Mas, quanto ao resto, não. Carrie era uma moça normal. Como todas as outras. E mais como todas as outras seria, se não fosse aquela incrível mulher que era a sua mãe. Mas isso não explica tudo. Sobretudo, não explica que naquela noite, a noite do baile, uma cidade inteira tenha sido arrasada por Carrie, sem que ela precisasse de mexer sequer um dedo.

A Minha Opinião: Esta foi a minha estreia no género terror/paranormal e devo a dizer que gostei bastante! Principalmente, porque não estava à espera de gostar deste género :)

Mas vamos por partes. Carrie é uma rapariga de dezassete anos aparentemente normal, no entanto com uma mãe fanático-religiosa. Como se isso não bastasse, Carrie é uma rapariga telecinética, ou seja, consegue mexer os objectos através da mente. Ok. Isso é estranho, um pouco assustador. Agora imaginem que uma pessoa com um poder desses fosse desprezada por tudo e por todos e fosse constantemente alvo de partidas, que por sua vez, poderiam levar à "activação" desse poder. Como, por exemplo, uma partida no baile de finalistas. Isso é realmente sinistro e dá sem dúvida uma história fenomenal!

É esta a narrativa que Stephen King nos apresenta. Uma história que poderia não ter graça nenhuma, mas que no entanto, através da sua maneira de contá-la, a torna simplesmente fantástica. Este foi um aspecto que adorei neste livro: a escrita de Stephen King. Se na verdade, não tenho termos de comparação no género, posso dizer que a escrita dele é absorvente, paralisa o leitor e este dificilmente quererá largar o livro, uma coisa que é fundamental, penso eu, num livro de terror. Além disso, o autor consegue caracterizar muito bem as personagens, principalmente indirectamente, um pormenor que é bastante interessante. Por fim, outra coisa a apontar é a utilização de diferentes tipos de texto durante o livro ( a narrativa propriamente dita, excertos de livros, entrevistas etc.), o que fez com que a leitura fosse dinâmica e que tivesse pontos de vista distintos de um acontecimento, o que levou a um produto final genial.

Depois de Carrie, Stephen King é um autor que vou ler brevemente.

Classificação: 8/10 - Muito Bom

8 comentários:

flicka disse...

Stephen King é um dos meus autores favoritos. Adorei a tua opinião, disseste tudo acerca deste autor, da sua escrita, que concordo inteiramente! Não li Carrie, mas vi o filme, digo-o com muita pena pois teria preferido ler antes... um livro é sempre melhor, mais profundo e terrorifico, do que o filme!Ainda me recordo de algumas cenas marcantes desse filme, vi-o já há muitos anos, certamente há mais de 10 anos. E lembro-me ter gostado muito!
Bom fim de semana!
Bjitos

La Sorcière disse...

Jacqueline, King é um mestre na literatura de terror e você leu um clássico!! mesmo para os que não são fãs, King conquista com suas narrativas envolventes:)
Bj

Angelina Violante disse...

Pela primeira vez também estou a ler algo do Stephen King é o Luz, para uma leitura conjunta no forúm Bad Books Don´t Exist, e estou a gostar.
Muito Obrigada pelo comentário no nosso blog.

Beijinhos

Angelina

Carla Martins disse...

Nossa, fiquei enlouquecida de vontade de ler esse! Deve ser demais!

vai pra lista!

beijinhos

Marcelina Gama disse...

Curioso, também li pela primeira vez um livro do S. King e adorei. Muito bom mesmo.

Maraiza disse...

oiee meninas
adorei o blog de vcs....
ja estou seguindo

bjux

Laelany disse...

Nunca li nada de Stephen King. Confesso que o terror nunca foi muito o meu género e por isso sempre pensei que não iria gostar. Mas as tua opinião foi tão boa que me fez reconsiderar.

Têm selinhos no meu bog ;)

Jacqueline' disse...

Flicka, não vi o filme, mas se gostaste do filme, certamente irás gostar do livro :)

La Sorcière, tens toda a razão.

Angelina, de nada.

Carla, é uma leitura diferente, mas extremamente absorvente.

Marcelina, parece que é difícil ficar-se indiferente a este escritor :)

Maraiza, obrigada.

Laelany, espero bem que reconsideres, pois não há nada melhor que experimentar :)
Obrigada.