quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Mulherzinhas, de Louisa May Alcott

Sinopse: Mulherzinhas conta a história de quatro irmãs, Josephine, Amy, Margaret e Beth. Começa com ternas memórias de infância e traça, num colorido mapa de vida, as aventuras e desventuras do seu crescimento, o despertar do amor, ilusões e desilusões, o contacto de perto com a morte. É um livro terno e intemporal, em que o leitor se deixa prender pelo enredo e vive a acção, partilha sensações, vibra com as alegrias e tristezas das quatro irmãs.

Opinião:
Apaixonei-me por este livro. Já há muito tempo que o queria ler e finalmente arranjei a oportunidade... A escrita da autora, não sendo especialmente sofisticada, é até bastante simples e suave, mas no entanto, consegue agarrar o leitor com a sua simplicidade.

A história, não tendo propriamente muita acção, é um conjunto de pequenos acontecimentos na vida das irmãs, que apesar de simples, levaram-me a querer continuar e saber um pouco mais do crescimento destas irmãs. Pois a grande particularidade deste livro, é o facto destas personagens estarem sempre a mudar, a crescer, a aprender com os seus erros. Em muitas partes do livro identifiquei-me com cada personagem... A luta de Jo contra o facto de se irritar facilmente, a de Amy contra o seu egoísmo, entre outras lições da Sra. March (a mãe das quatro), que me faziam relembrar o meu próprio crescimento.


Aconselho a todos, pois é de fácil leitura, a história é cativante e depois de que se começa o livro, eu pelo menos não consegui parar. Este é um dos clássicos que passará de geração em geração, e continuará a cativar os seus leitores.

Classificação: 10/10 - Magnifique

5 comentários:

Mónica disse...

Esse foi um dos livros que marcou o início da minha juventude. Marcou-me de tal forma que já o tenho reservado para um dia, quando tiver um filho(a), ele(a) também o ter disponível para a leitura.

t i a g o disse...

10 em 10? Tenho de ver isso, definitivamente!

Tita disse...

Li As Mulherzinhas e As Boas Esposas (q é a continuação) no início da minha adolescência, pois eram os dois livros da minha mãe e foi uma leitura agradável, mesmo com algumas partes mais tristes.

Jacqueline' disse...

Obrigada Tita, pelo esclarecimento. Assim já o devo encontrar :D

Lia disse...

Eu gostei imenso deste livro! Lê-se muito bem, é suave, temperado, ideal para ler na primavera. Tenho a continuação, mas ainda não a li infelizmente. Mas concordo inteiramente com a tua classificação.

Beijos