terça-feira, 18 de agosto de 2009

A ilha do tempo perdido, Silvana Gandolfi

Sinopse: Num quente dia de Junho, Giulia e Arianna vão fazer uma visita com a turma da escola a uma antiga mina. As duas amigas afastam-se um pouco do grupo, e depois, incapazes de encontrarem o caminho de regresso, vão parar a outro mundo! À ilha do tempo perdido onde estão os habitantes e os objectos que se perderam da Terra – pessoas, óculos de sol, chapéus, animais e ainda a memória daqueles que perderam a cabeça. Giulia e Arianna passam o tempo sem fazerem nada e estão radiantes no local paradisíaco que encontraram. Mas terão de voltar à Terra onde as espera uma importante missão: ensinar as pessoas a renascerem e a reaprenderem o significado de estar sem fazer absolutamente nada. Uma tarefa difícil nos dias que correm apenas possível aos terrestres que se disponham a saber apreciar a natureza e as coisas insignificantes, por vezes as mais importantes, que a vida pode proporcionar. Um verdadeiro hino à vida!

A minha opinião:
Este livro é um daqueles livros que nos surpreendem. Como sabem, uma das minhas metas é ler todos os livros da colecção Estrela do Mar e, ultimamente, não tenho lido muitos livros da mesma. No entanto, para desanuviar da leitura de clássicos, porque apesar de bons, o mesmo género sempre cansa, um livro infantil é uma boa forma de descansar um pouco...

A ilha do tempo perdido começa com uma nota do editor dizendo que a escritora encontra-se desaparecida. É então que temos duas histórias: a da escritora, que sabemos pelas cartas que ela manda à sua melhor amiga, Giulia e a própria história de Giulia na ilha do tempo perdido.

E o que é afinal esta ilha? Bem, é nesta ilha que vai parar tudo o que se perde na Terra, e quando digo tudo, é mesmo tudo, a cabeça, a esperança, os objectos, as pessoas...

Fiquei com pena que não houvesse mais nada desta escritora na colecção, pois fiquei bem impressionada neste título, pois Silvana Gandolfi é uma das escitoras italianas com mais sucesso na Itália no mundo dos livros infantis.

Uma história repleta de imaginação, uma excelente escolha para dar aos mais novos que certamente cultivará o gosto pela leitura.


4 comentários:

Anónimo disse...

Eu li este livro, e é, absolutamente, magnífico. Um dos meus preferidos. Eu detesto reler os livros, mas este, já o reli e apresentei várias vezes. Mágico.

Anónimo disse...

Este livro e simplismente aconchegante,pois ele me ensinou o verdadeiro significado da vida e do prazer quer dizer, este livro, como diz meu avo pascoal, supimpa e\ou bananal.

OBRIGADO E BEIJOS PESSOAL
ate a proxima

Anónimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Anónimo disse...

muito bom mesmo, porém é ruim quando acaba, eu queria morar naquela ilha