sexta-feira, 24 de julho de 2009

Rebeca, de Daphne du Maurier

Sinopse: Publicado em 1938, Rebecca é talvez o romance por que Daphne du Maurier é hoje mais lembrada. Ao lê-lo entramos numa atmosfera onírica, sombria, alimentada por segredos que os códigos sociais obrigam a permanecer ocultos e que se concentram na misteriosa mansão Manderley. É para esta mansão que a narradora, uma jovem humilde, vai viver com o viúvo Maxim de Winter, ao aceitar o seu pedido de casamento. Mas então descobre que a memória da falecida esposa, Rebecca, se encontra ainda viva e que esta era tudo o que ela nunca será. À medida que o enredo se desenvolve, ela terá de redefinir a sua identidade num cenário em que os sonhos ameaçam tornar-se pesadelos…

A minha opinião: Vi este livro na minha escola e o título chamou-me a atenção por ser um nome invulgar e também por ser da colecção Dois Mundos, que tem muitos livros que gostei. "Este livro parece interessante" pensei eu. Este livro não era interessante... Depois, com outras críticas que vi, passei-o para uma das minhas prioridades. Pedi-o a uma tia minha que o tinha e comecei a ler.

Começa de uma forma fantástica. A escrita da autora é simplesmente fascinante. Daphne du Maurier descreve tudo tão detalhadamente e todos os pormenor da história, mas fa-lo com tamanha delicadeza e suavidade como eu nunca li. Gostei tanto da escrita que fiquei com a sensação que podia escrever mais páginas e páginas a descrever Manderley, a vida de cada pessoa, e eu nem me aperceberia, tal era o prazer de o ler...

Quanto à história de Rebecca, esta é esplêndida e totalmente imprevisível. Enquanto o lia, pensava que a história ia tomar um rumo, mas logo de seguida percebia que isso não ia acontecer e tomava um rumo totalmente inesperado. A história começa com o final do livro para quem já o leu, o levantar do véu para que não o fez. Fantástica forma de começar, prendeu-me desde o início.

Contada na primeira pessoa, partimos então para a analepse (que se vai prolongar até ao final do livro). Não vou falar sobre a primeira parte do livro, pois está bem descrita na sinopse. Vou apenas falar de Rebecca. Ela está ominipresente em Manderley. Quando a narradora chega, apercebe-se de imediato disso. Todos os criados seguem as suas regras e todos a comparam com Rebecca. Apesar dela se encontrar morta, vai claramente ser a principal atenção do leitor. Afinal, quem era ela, porque todos a adoravam? E é assim que nos vamos viciando cada vez mais no enredo, querendo saber mais e mais sobre esta pessoa. Interessante é que, tudo o que sabemos sobre ela vai mudando lentamente até termos uma Rebecca muito diferente da que conhecemos no inicio...

Enquanto escrevi isto, olhei para o livro da minha tia. Está um verdadeiro caos. A capa saiu no inicio, a lombada partiu-se em duas partes a meio e a contra capa quase que saiu no final. Apesar de tudo, gosto de o ver assim. É sinal de que foi lido por muitos e andou por muitos sítios. Agora vou pôr-lhe alguma fita-cola. E vou fazê-lo sabendo que alguém o vai desfrutar certamente tanto como eu. Talvez, quem sabe, um dia voltarei a lê-lo e a sensação será a mesma: a de um livro que superou todas as expectativas.

5 comentários:

WhiteLady3 disse...

Já tenho ouvido bastantes críticas boas relativamente a este livro, pelo que não posso passar sem o ler. Talvez em breve...

Eu também adoro ver livros assim! Tenho a certeza de que já passaram por muitas mãos e marcaram leitores. Mas diga-se que essa colecção é propensa a ficar desfeita com pouco uso. Tenho A Pérola, só o li uma vez para um trabalho da escola e ficou com a capa descolada.

Jacqueline' disse...

Sim, isso também é verdade :P

t i a g o disse...

Ultimamente anda muita gente a ler clássicos! Eu mesmo vou ler Pride and Prejudice este Verão. Acho giro este gosto pelas origens da literatura (embora este não seja propriamente uma origem, só tem uns... 70 anos xD). Gostei da tua crítica, que me veio dar a conhecer este livro e esta autora, que desconhecia por completo.

É o que eu digo - talvez quando o vir numa livraria, ou na biblioteca da escola, me aprofunde um pouco mais... :)

Tiago
PS: Hoje o Lydo e Opinado celebra o seu primeiro aniversário; passa por lá!

Tita disse...

Tenho muita curiosidade em ler este livro, pois só ouço dizer bem dele =)

Claudia Oliveira disse...

Vou ler este livro,:)